quarta-feira, 26 de maio de 2010

Não ria


Não ria. Não é engraçado. Um poeta sendo correspondido em seu amor é alguém sem palavras.
Cambaleia atônito sem o contrapeso da tristeza. Ele se tornou livre de sua servidão platônica. O poeta sendo correspondido em seu amor é só pensamentos. No mundo de imagens que carrega nada se transfigura em poesia. Ou melhor, tudo é poesia menos as palavras. A amada não entende o silêncio. Ele não pretende maculá-la com suas tentativas de conter a alegria que transborda. Morrem as explicações possíveis.
Só o amor o carrega inebriado.

Leometáfora

3 comentários:

nea disse...

Adorei!!!Sou sua fã!!!

Anne disse...

Léo,
seu texto é a singela e original expressão do amor em forma de silêncio traduzido em palavras.

Bjs,
Anne.

' Danielle Souza ♥ disse...

Meu primo Poeta, amo muito! ♥