sábado, 20 de março de 2010

Ainda posso me reconstruir


O fato de que eu esteja morrendo diz muito pouco sobre mim. Eu não sou as noites mal dormidas. Não sou a sucessão de erros. Nem de longe, esse imenso medo de rejeição. Não sou o resultado do seu silencio. Do seu desafeto. Do seu desamor. Sou muito mais que essa insensatez que insiste em acreditar em tudo. Mas não me penses que já me conhece. Mesmo à beira do fim, nesse solitário segundo que me antecede,
ainda posso me reconstruir.

Leometáfora

Um comentário:

Anne disse...

Léo, até que enfim consegui conhecer seu blog.
Gosto de prestigiar meus amigos e sempre que recebo um convite, lá estou.
O problema é na hora de deixar o comentário,nem sempre consigo escrever as palavras certas, elas adoram fugir de mim quando mais preciso...rs.
Adorei suas poesias e textos muito bem redigidos.
Neste você aborda um tema que todos nós teremos que superar... a morte.
Quantas vezes uma pessoa está condenada a morrer e Deus lhe dá uma segunda chance?
A morte é o mistério da vida e dela ninguém escapa, mas na minha concepção, morrer é o renascer para uma nova vida.
As pessoas costumam temer a morte, mas não percebem que morremos muitas vezes enquanto vivos estamos.
Portanto... reconstrua, lute e vença!
Desejo a vc, sucesso e a realização dos teus sonhos.


Bjs da amiga,

Annemarie.