quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Pra revelar a dor, o amor. Sua razão austera, vendavais. Pra sucumbir à veleidade do porvir. Unir, desunir, completar, se anular. Esperar o incêndio secreto onde queimarás. Meu cais, meu porto, meu lar. Depois alto mar. Pélago que atormenta. Que desinibi a gritar. Conseguir entender se você. Antes mesmo de ver. Discutiu com a razão. Sim ou não? Discutiu com a paixão. Sim ou não? Se posso tentar. Toda roda girar. Se na sorte eu tirar. Coração. Sim ou não? Me responde outra vez. Pra que possa saber. Se foi eu ou você. Que esqueceu de pedir...
Pra parar.

Leometáfora

Um comentário:

FRX disse...

vc mesmo escreve todos estes poemas?

sou compositora e não poeta, mas tbm amo a arte de colocar palvras num papel e cada um interpretar a sua própria maneira, poema e musica serve como um desabafo tbm.